Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
main logo
menu logo
menu logo
menu logo
menu logo
menu logo
menu logo
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Desde 2017 que o espaço de apresentação dos Grupos de Teatro de Amadores de Guimarães vem sendo experimentado com programação do Teatro Oficina – assim (re)nasceu a Mostra de Amadores de Teatro MAT. Um novo formato revisto e alargado, com a escolha de 6 projetos dos quais resultam 6 espetáculos finais, apresentados numa verdadeira festa de teatro entre os dois auditórios do CCVF.

 

MAT 21 - 21 a 24 de outubro 2021

Centro Cultural Vila Flor

 

Convocatórias para os grupos até dezembro 2020

PACT com os Grupos de Amadores de Teatro [Plano de Apoio à Criação Territorial]

mar > jun espaços de ensaio dos grupos

Mostra de Amadores de Teatro MAT’20

03 > 13 jun CCVF e CIAJG

Chegados a 2020, vimos renovar o convite à apresentação de propostas para a mostra de amadores de teatro mantendo a relação com os amadores de teatro, a formação, acompanhamento e reflexão, durante os trabalhos.

À semelhança do ano passado, iremos acompanhar 6 grupos, por isso continuam a ter de enviar o projeto com os requisitos identificados, em baixo.

A escolha desses projetos a acompanhar será feita por João Pedro Vaz (T. Oficina) e pelo formador associado Gonçalo Fonseca.

Depois de recebidos e analisados os projetos, os grupos fazem uma entrevista com o júri de até 30 min. cada, para esclarecimento presencial de dúvidas.

Desse processo são escolhidos 6 projetos aos quais é atribuído um apoio de 1100€, igual para todos.

A partir dessa escolha haverá um programa experimental de formação e acompanhamento orientado por Gonçalo Fonseca:

➞ Formação inicial aos atores do grupo

➞ Aconselhamento permanente de encenação

➞ Acompanhamento artístico dos trabalhos

➞ Uma sessão de acompanhamento técnico (luz e som) com equipa técnica d’A Oficina

O grupo não será dirigido pelo nosso formador, ele serve como consultor artístico permanente e pode ajudar a encontrar soluções, mas sem perturbar a dinâmica do grupo.

CALENDÁRIO 2020

Abertura da convocatória – 07 fev

Apresentação de projetos – 21 fev

Entrevistas com o júri – data a definir entre 26 e 29 de fev [escolha dos 6 projetos]

Acompanhamento do trabalho mar > jun

MAT’20 - 03 > 13 jun CCVF e CIAJG

Podem responder a esta convocatória os grupos de teatro de amadores ou entidades a que estão associados, desde que legalmente constituídos e sedeados no concelho de Guimarães.

PROJETOS

ENVIO DE PROJETOS EM PDF ATÉ 21 FEV 2020 - para: mat@aoficina.pt com o assunto ‘MAT-2020’

NÃO HÁ FORMULÁRIO, MAS PEDE-SE QUE RESPEITEM A PAGINAÇÃO ABAIXO

NÃO SERÃO ACEITES PROJETOS ESCRITOS À MÃO

O Projeto apresentado deve conter:

a) o nome do candidato e respetiva natureza jurídica e nome do projeto - até 1 pág. A4

b) historial muito resumido do grupo SE FOR A PRIMEIRA VEZ QUE SE CANDIDATAM - até 1 pág. A4

c) sinopse, ficha artística e técnica do espetáculo - até 1 pág. A4

d) identificação e curricula dos responsáveis da área artística - até 2 págs. A4

e) exposição do espetáculo a desenvolver - com indicação de texto e/ou pontos de partida ou inspiração, universos artísticos ou referências para o trabalho - até 3 págs. A4

f) razões pelas quais o grupo precisa deste programa formativo e como o irá aproveitar para a sua dinâmica - 1 pág. A4

g) lista com a composição integral do grupo (nome, idade, profissão, residência) - 1 pág. A4

h) plano de trabalho - 1 pág. A4

PROJETO FINAL ATÉ 10 PÁGS. A4 - UM ÚNICO DOCUMENTO, ANEXOS NÃO SERÃO ANALISADOS

AVALIAÇÃO

Critérios de avaliação qualitativa – após análise do projeto e entrevista presencial até 30 min.

1) Qualidade do projeto e da equipa apresentada

2) Razoabilidade do projeto e capacidade de organização e realização do grupo

3) Necessidade do projeto formativo (serão valorizados grupos com necessidades formativas)

4) Composição do grupo (serão valorizados grupos cujo elenco seja esmagadoramente não-profissional e que não têm dinâmica artística profissional e/ou semi-profissional; os que têm podem apresentar projetos à programação regular d’A Oficina ou do Teatro Oficina)